TURISMO : Brasil propõe ofensiva da América Latina para captar eventos internacionais

Durante WTM, ministro Marx Beltrão convidou os países vizinhos para traçarem uma estratégia conjunta para fortalecer o turismo de negócio na região 

Ministro do Turismo, Marx Beltrão e representantes do turismo na América Latina
Ministro do Turismo, Marx Beltrão e representantes do turismo na América Latina

Representantes do turismo da América Latina se encontraram nesta terça-feira (08) durante a WTM, em Londres, para discutir alternativas para aumentar o número de eventos internacionais na região. A ideia é formalizar parcerias e fomentar o desenvolvimento econômico dos países por meio do setor de viagens.

“Por que nenhum dos países da América Latina está entre os dez que mais realizam eventos internacionais no ranking da Associação Internacional de Congressos e Convenções (ICCA)?”, questionou o ministro do Turismo do Brasil, Marx Beltrão. Na sequência, ele convidou os demais países a fazerem uma ofensiva conjunta para captar os eventos internacionais. “Precisamos mapear as oportunidades em tempo hábil e ter uma estratégia agressiva de encantamento dos organizadores. Precisamos profissionalizar as nossas estruturas de captação dos eventos. Trabalhar de forma integrada”, argumentou.

Durante dez anos o Brasil esteve no ranking dos dez países que mais realizaram eventos no mundo. Mas na última edição do levantamento o país ficou em 11º lugar, mesmo tendo sediado 272 eventos, um a mais que no ano anterior. De acordo com a ICCA, o segmento de eventos internacionais bateu recorde em 2015. Foram 12.075 eventos internacionais no mundo, 571 a mais que o registrado em 2014. Um crescimento de quase 5%.

“Podemos encarar este fato como uma oportunidade, uma chance de crescermos num segmento extremamente qualificado, que ajuda a minimizar os efeitos da sazonalidade nos nossos destinos, movimentando a economia, gerando emprego e renda em todas as épocas do ano”, destacou o ministro.

“A elite do pensamento mundial viaja o mundo disseminando conhecimento por meio de conferências, congressos ou simpósios. O valor intangível da difusão de inteligência por meio de eventos talvez seja a maior qualidade desse segmento. Mais até que os ganhos econômicos”, finalizou o ministro.

Também participaram do encontro representantes do Uruguai, Venezuela e Equador. Todos ressaltaram atributos dos respectivos países que podem ajudar no desenvolvimento do turismo da região. O representante da Organização Mundial do Turismo (OMT), Márcio Favila, presente no local, elogiou a iniciativa e ressaltou a importância da América Latina avançar nos temas de facilitação de viagens, aumento da conectividade e melhoria da segurança.

WTTC – Ainda nesta terça-feira, o ministro Marx Beltrão reuniu-se com o presidente da Consultoria Mundial de Turismo e Viagem (WTTC na sigla em inglês), David Scowsill. Na pauta, a possibilidade de o Brasil sediar, no fim de 2017, um encontro internacional das autoridades de turismo das Américas, um dos principais fóruns de debates sobre tendências do setor no mundo.

Por Darse Júnior- Assessoria MTur

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *