Trama confusa, pouco romance e personagens demais prejudicam A Lei do Amor

Trama confusa, pouco romance e personagens demais prejudicam A Lei do Amor

aleidoamor_divulgacao21

A baixa audiência de “A Lei do Amor” fez soar um alerta vermelho sobre a novela. A pesquisa com grupos de discussão (para avaliar a trama) foi antecipada. A média geral no Ibope da Grande São Paulo – até o capítulo 24 – é de 26 pontos, considerada baixa. “A Lei do Amor” tem perdido para “Haja Coração”, a trama das sete – ainda que essa comparação seja injusta, já que a novela das nove está apenas começando, enquanto a das sete, no fim, vive o auge de sua repercussão.

O primeiro problema que salta aos olhos é o excesso de personagens jovens, vividos por atores pouco conhecidos, o que dificulta o público na hora de montar as relações familiares e pessoais com outros personagens. Elaborei um quebra-cabeça na tentativa de elucidar essa questão

Outro problema que causou estranhamento: a trama da novela mudou drasticamente de foco na passagem do prólogo (na década de 1990, primeira semana), para a fase atual. De romântica, explorando o amor difícil entre Helô e Pedro (Isabelle Drummond e Chay Suede), a história da novela está atualmente centrada numa intricada trama policial e política.

Será que não falta mais romance? Ou o romance entre os atuais Helô e Pedro (Claudia Abreu e Reynaldo Gianecchini) anda muito insosso? Nota-se, porém, uma trama romântica com muito potencial envolvendo Tiago e Isabela (Humberto Carrão e Alice Wegman) – seriam eles os reais mocinhos da novela?

Por fim, sente-se que a agilidade da história tem trabalhado contra ela. Atualmente, em que prevalece o suspense policial e político, as cenas de “A Lei do Amor” são curtas, clipadas, rápidas e requerem atenção do público. Se perder algum detalhe, corre-se o risco de ficar sem entender mais nada! Falta a tão criticada reiteração das novelas?

Telenovela não é série americana, em que o público se dispõe a focar por cinquenta minutos. Por décadas fomos acostumados a não prestar muita atenção em nossos folhetins na segurança de que aquela história seria recontada inúmeras vezes até o seu término. Tramas policiais demandam tempo, disposição e foco do telespectador. Algumas penaram para conquistar audiência (vide a recente “A Regra do Jogo”). Por outro lado, é sempre bom oferecer ao público um produto não tão mastigado ou óbvio.

A Lei do Amor” tem personagens com muito apelo, principalmente no lado humorístico ou mais popular, como Salete (Claudia Raia), Mileide (Heloísa Périssé), Ruty Raquel (Titina Medeiros), Luciane (Grazi Massafera) e o Senador Venturini (Otávio Augusto). A novela é realmente boa, tem ótimos personagens, é bem escrita – como adiantou Maria Adelaide Amaral em entrevista. Ou seja, tem potencial. Mas o público já sinalizou que alguns ajustes são providenciais.

uol

04/11/2016

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *