Superlotação e situação precária na Central de Flagrantes de Arapiraca.

0

Diretores do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) realizaram , uma inspeção no Complexo de Delegacias Especializadas (Code), e denunciam a superlotação de presos e condições estruturais precárias .

De acordo com a categoria, as celas, deveriam funcionar como prisão provisória de até 24 horas, e estão sendo utilizadas para a carceragem de detentos, que estão há mais de uma semana. São 30 presos divididos em duas celas de 6 metros quadrados cada. A capacidade seria para quatro pessoas por cada xadrez, o que não ocorre. Dos 30 presos, 16 são oriundos das cidades do interior de Alagoas. Entre os presos, um já está preso há seis meses no local. Por falta de espaço, os presos se reservam para descansar, muitos ficam em pé na cela. Há presos doentes no local.

Denunciam ainda que a carceragem apresenta problemas hidráulicos e precária estrutura física. Não há espaço para contenção para segurança. A parede da carceragem está localizada ao lado de um posto de combustível, o que torna o ambiente propício para fugas. Já ocorreram duas fugas de presos por conta da fragilidade do local e da superlotação. As celas são insalubres e possuem altas temperaturas que podem chegar até 40º C.

Os policiais civis relataram que o Code está com presos de alta periculosidade, autores de diversos crimes, incluindo assaltos e homicídios. No plantão da Delegacia de Fragrantes II, existe um policial civil.

O sindicato também encontrou materiais de apreensão como motos e drogas em ambientes inapropriados que colocam em risco a saúde e a integridade física dos policiais civis.

O presidente do Sindpol, Josimar Melo, e os diretores Stélio Pimentel Junior, Adriano Gama e Marcial Fortes se reuniram com o Coordenador da Delegacia de Homicídios, delegado Egivaldo Lopes, para tratar da superlotação e das precárias condições do local. Os dirigentes do Sindpol defenderam a retirada dos presos do Code e das delegacias de Alagoas, destacando que a custódia de presos é um desvio de função dos policiais civis, os quais deveriam cumprir apenas com sua função constitucional, que é a investigação.

Mobilização

Na próxima sexta-feira (15), o Sindpol realizará ato público com café da manhã, em frente ao Code, durante a paralisação setorial de 24 horas dos policiais civis.

7segundos

26/10/16

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *