Senador Benedito de Lira denuncia perseguição às casas de farinha em Alagoas

O senador Benedito de Lira (PP-AL) disse ontem que o  Instituto do Meio Ambiente está atuando com muito rigor nas casas de farinha de Alagoas e apelou ao governador Renan Filho para conter o absurdo. “O governador tem que mandar corrigir o que está errado antes de interditar as casas de farinha”.

Benedito disse que foi informado de que na região de Arapiraca, fiscais do IMA fizeram uma varredura em todos os povoados e aplicaram pesadas multas aos pequenos produtores, o que, segundo ele, inviabiliza definitivamente as casas de farinha.

“Estão fazendo um verdadeiro terror. Chegam na casa do pequeno agricultor, do pequeno trabalhador, do homem que vive da atividade primaria da agricultura familiar exigindo que as casas de farinha possuam piso e parede de cerâmica. Aonde já se viu isso? No Nordeste, as casas de farinha são uma atividade artesanal, existente há séculos. Eles não tem como pagar as multas que chegam a 30 e até 40 mil reais”, explicou o senador.

O senador apelou para que Renan Filho mande sustar a operação desencadeada pelo IMA e que, em vez de multar e interditar, procurem orientar os pequenos produtores para que eles possam se adequar às exigências ambientais ou sanitárias.

Lembrou que os agricultores familiares ao longo de 30, 40, 50 anos, possuem uma casa de moer mandioca de forma artesanal. Eles vivem dessa atividade, que dá ocupação a  pessoas da roça, mulheres do interior que ganham a diária, raspando a mandioca para fazer a farinha. É uma tradição secular e a farinha de mandioca é destinada ao consumo das famílias e o excedente é vendido nas feiras livres.

08/06/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *