Polícia identifica mais 2 envolvidos no crime de dentista no Rio

a_foragido

Divisão de Homicídios identificou, na quinta (3), mais duas pessoas envolvidas na morte da dentista Priscila Soares Nicolau dos Reis, de 37 anos. Wesley André de Souza Adriano e um adolescente de 17 anos teriam participado do crime, segundo a delegada Marcela Ortiz.

Na quarta, a Polícia já pedira a prisão de três suspeitos de terem atacado com tiros o carro da dentista. No episódio, um bando armado fugia do Morro do Banco após trocarem tiros com a polícia e, durante a fuga, mataram a mulher de 37 anos.

Entre os suspeitos, está Douglas de Melo, o Miguelinho ou Cria, de 18 anos, que segundo as investigações é um dos líderes do bando que tentou invadir o Morro do Banco, na segunda-feira (31). Os outros dois homens, identificados como Ademilson Luiz Guedes Costa e Rafael Alves Peixoto, foram presos na terça-feira (1º).

Segundo a delegada Marcela Ortiz, Miguelinho tem várias passagens pela polícia, a maioria quando era menor de idade, por associação ao tráfico, tentativa de homicídio e posse de artefato explosivo.

“Traficantes do Lins e do Borel foram agrupados por Miguelinho, que é nascido no local, para retomar a venda de drogas, mas foram vistos por populares, que acionaram a PM, e ocorreu o confronto” afirmou a delegada, ressaltando que não foi a primeira vez que criminosos tentaram retomar as bocas de fumo da favela, que não é controlada por nenhuma facção criminosa.

A ação dos suspeitos não deu certo, segundo a delegada, porque a movimentação do grupo assustou moradores, que acionaram a PM.

“O 31º BPM tem uma companhia destacada na entrada do morro, que reduziu a incidência do tráfico no local. A cabine conta com uma câmera de segurança, que fez imagens do grupo”.

Quando os criminosos toparam com policiais militares, resolveram fugir em direção à Estrada de Furnas, por onde Priscila passava com o carro e foi atacada.

Cerca de 15 homens
Ainda de acordo com as investigações, o grupo era formado por cerca de 15 criminosos, dos quais vários já foram identificados nas investigações. Ao tentarem roubar o carro de Priscila, eles dispararam pelo menos 17 tiros de fuzil e pistola 9 milímetros – arma que foi apreendida com Ademilson.

“Ainda há muito trabalho pela frente, temos diligências em andamento para encontrá-los”, explicou Marcela.

Os dois suspeitos já presos pelo crime foram capturados na mata em ação conjunta da 16ª DP (Barra da Tijuca) e da PM, realizada logo após o confronto no Morro do Banco. Depois de serem autuados por associação ao tráfico, eles foram encaminhados à DH e identificados como participantes da tentativa de invasão à comunidade.

“Os dois presos aparecem nas imagens, mas ambos negam ter atirado contra Priscila”, disse Marcela.

G1

04/11/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *