Justiça nega liberdade a um dos acusados de matar argentino

Justiça nega liberdade a um dos acusados de matar argentino

A Justiça do Rio negou o pedido de Habeas Corpus feito pela defesa de Pedro Henrique Marciano, conhecido como PH, um dos quatro acusados de participar da morte do turista argentino Matías Sebastian Carena. Ele foi morto após uma discussão na saída de uma boate em Ipanema, Zona Sul do Rio.

Pedro Henrique foi preso no início de abril e Júlio Godinho, outro acusado, foi preso no início de maio, relembra o G1.

Na época, o delegado da Divisão de Homicídios do Rio, Fábio Cardoso, afirmou que a confusão entre os brasileiros e argentinos começou após algumas provocações do grupo de brasileiros. Os argentinos teriam discordado do valor cobrado pelo estabelecimento e os suspeitos fizeram provocações na saída da casa noturna.

A necrópsia apontou que Matias morreu após sofrer um traumatismo craniano, que pode ter sido causado por um soco, ou após a vítima ter caído no chão. Além disso, o argentino foi agredido com um porrete mesmo após estar desacordado.

Matias tinha 28 anos e era jogador de um clube do bairro de Boedo, em Buenos Aires, da primeira divisão de futsal argentino, que chegou a publicar uma nota de pesar. Na Argentina, os jornais locais repercutiram a morte do rapaz com informações já publicadas pela imprensa brasileira.

Amigos informaram aos jornais da cidade que ele estava de férias com um grupo de 10 pessoas no Rio e retornaria à Argentina poucos dias depois da agressão.

08/06/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *