Estudantes deixam escola por ordem judicial e ocupam outra em Arapiraca

Desocupação foi realizada nesta segunda; Alagoas tem agora 30 ocupações. Mobilização é contra PEC do teto dos gastos e outras medidas do governo.

whatsapp_image_2016-10-17_at_11-30-15

A Escola Estadual Manoel Lúcio, em Arapiraca, foi desocupada na manhã desta segunda-feira (7) após passar mais de 20 dias tomada pelos estudantes. A ordem para que eles deixassem o local partiu da Justiça. A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) confirma a desocupação.

No mesmo município, outra unidade de ensino também foi ocupada nesta segunda, a Escola Estadual Quintela Cavalcante. Segundo a União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes), ela foi ocupada por outro grupo e por estudantes que saíram da Manoel Lúcio.

Com a determinação judicial cumprida, Alagoas tem agora 30 unidades de ensino ocupadas. A mobilização acontece em todo o país e é um protesto contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que limita os gastos públicos no país, a medida provisória da reforma do ensino médio e a Lei estadual da “Escola Livre”, que prevê “neutralidade política, ideológica e religiosa” de professores

Estudantes ocuparam a Escola Estadual Manoel Lúcio da Silva, no bairro Cacimbas, em Arapiraca, no Agreste de Alagoas, na manhã desta segunda-feira (17). Eles protestam contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241 e uma medida provisória de reforma do ensino médio do Governo Federal.

A organização do ato informou que cerca de 300 estudantes participam da ocupação. Já a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) disse que há entre 15 e 20 pessoas. A Polícia Militar não foi acionada para o local.

Os alunos aderiram ao movimento de ocupação nacional de escolas pois acreditam que a PEC 241 vai prejudicar o ensino brasileiro. A medida prevê teto para os gastos públicos por 20 anos. O grupo também é contra a lei nº 7.800, conhecida como Lei da Escola Livre, que defende neutralidade política, ideológica e religiosa do professor em sala de aula.

Os estudantes estão na área do pátio da escola desde o início da manhã e disseram que a ocupação é por tempo indeterminado. Eles informaram que alguns alguns professores também aderiram ao protesto e as aulas não estão acontecendo.

“Estamos buscando sensibilizar os pais e a comunidade escolar para os prejuízos que essa medida pode dar a educação no país”, defendeu a estudante Riquele Maria Henrique Silva.

A mobilização conta com o apoio da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas – UBES, entidade organizadora das ocupações que vem acontecendo ultimamente no país, denominada de “Primavera Secundarista”.

A assessoria de comunicação da Seduc informou que os alunos impedem as aulas na escola, mas a direção está tentando negociar. A secretaria comunicou que a manifestação é pacífica.

Outras ocupações
Com essa escola, ficam três unidades de ensino ocupadas no estado. No último dia 10, alunos do Instituto Federal de Alagoas ocuparam o Campus Satuba, em seguida, na última sexta-feira (15), o Campus Santana do Ipanema também foi ocupado.

g1

07/11/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *