Ederson assina por cinco anos com o Manchester City e diz que Guardiola influenciou sua escolha

Ederson assina por cinco anos com o Manchester City e diz que Guardiola influenciou sua escolha

O Manchester City confirmou a contratação do goleiro Ederson, que estava no Benfica, nesta quinta-feira. O brasileiro de 23 anos assinou um contrato de cinco temporadas com a equipe comandada por Pep Guardiola, após ser adquirido por 40 milhões de euros (cerca de R$ 147 milhões), tornando-se o mais caro da história em sua posição.

Na sua primeira entrevista como jogador da equipe, o arqueiro afirmou que vai aproveitar a oportunidade. O jogador escolheu vestir a camisa 31, informa o Extra.

“Minha vida foi feita de oportunidades. As oportunidades que tive, eu aproveitei. No Benfica não foi diferente. Infelizmente, com a lesão de um companheiro, entrei num dérbi, que era praticamente um jogo para o título, e acabei fazendo uma grande partida. E de ali, a gente deu um grande passo para o título”, disse ao site do time. “Isto (o interesse) já vinha há algum tempo, surgiu com boatos através dos jornais, mas quando vi que era algo mais concreto fiquei muito feliz e contente, por ver que o meu trabalho está sendo reconhecido. Fruto de um bom trabalho, no meu antigo clube”.

O goleiro citou os fatores que o fizeram deixar o Benfica – onde desbancou o experiente Julio Cesar – e assinar com os Citizens. O fator Guardiola pesou, assim como aconteceu com Gabriel Jesus.

“Um conjunto de coisas. A grande equipe que é o City, o grande campeonato aqui da Inglaterra, com torcedores fantásticos, um futebol magnífico. Então, sempre tive o sonho de jogar no futebol inglês e consegui realizá-lo. Um clube que nos últimos tempos evoluiu muito, agora com Guardiola está evoluindo cada vez mais e está apostando na equipe jovem. Então, esses foram grandes fatores para a minha escolha”.

Ederson falou sobre a forma que jogava no Benfica, onde conquistou dois títulos só nesta temporada – Português e Taça de Portugal.

“No meu antigo clube também jogava muito adiantado e participava bastante nos jogos. Creio que essa revolução no goleiro foi muito importante. O grupo acaba ganhando um novo elemento. Eu já tinha essa capacidade de jogar um pouco fora. É claro que quando eu jogava num time de menor dimensão, não tinha nenhum poder de jogar muito fora, tinha que jogar embaixo. Mais quando fui para o Benfica, pude aprimorar aquilo que eu sabia fazer e jogar adiantado, participando mais do jogo, mais ativo. E isso foi evoluindo”, analisou.

08/06/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *