Descaso : Nem os mortos de Palmeira dos Índios escaparam do abandono da prefeitura

As covas completamente abandonadas,umas até sem identificação dos mortos
As covas completamente abandonadas,umas até sem identificação dos mortos

Nos cemitérios São Gonçalo e Santo Amaro, na parte central de Palmeira dos Índios, familiares e amigos encontraram um verdadeiro descaso e falta de respeito com os mortos.

Os cemitérios são mantidos pela prefeitura, que apenas pintou a frente e deixou completamente abandonado por dentro. Houve lamentações de todos os tipos. “Queria o quê do prefeito James Ribeiro, se ele abandonou os vivos e imaginem os mortos?”, disse uma moradora.

A filha de Jefferson Mamedes Monteiro ficou indignada quando encontrou as cruzes das covas que estão enterrados seu pai e tio, jogadas em outra cova. O local que deveria estar encontrava-se chaves e alças de caixão e não encontrou o responsável para poder reclamar pelo descaso.

Familiares revoltado com o abandono do cemitério
Familiares revoltado com o abandono do cemitério

Grades sobre outras, a doméstica Gracisa Goes estava à procura da cruz de seu falecido esposo, que não se encontrava na referida cova. Os palmeirenses disserem viver um verdadeiro descaso com os entre-queridos, uma verdadeira falta de respeito com os mortos.

Já os floristas reclamavam devido à queda brusca nas vendas, muitos não venderam seus produtos por falta de chuvas, fazendo aumentar os preços, em comparação ao ano passado, em que um buquê de flores custava entre R$ 2,50 a, R$ 500. “Neste 1º de Novembro tivemos que cobrar R$ 10,00 pelas flores”, comenta uma vendedora.

Os vendedores de velas para atrair compradores, distribuíam fósforos, promoveram várias reclamações, por parte dos mesmos pelos preços altos, que tiveram que pagar na compras de fósforos este ano, lamentável e absurdo.

Com relação aos visitantes e familiares dos mortos, ficaram abismados pela sujeira encontrada nos cemitérios, comenta um comprador.

bernardino-assinatura

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *