AMA emite Nota Oficial sobre a redução de números em municípios afetados pelas chuvas

A Associação dos Municípios Alagoanos- AMA –  diante nas informações que estão sendo divulgadas e, em respeito a sociedade, que respondeu com solidariedade à população atingida pelas fortes chuvas, que provocaram transtorno e dor em 27 cidades alagoanas esclarece que:

1- A redução no número de desabrigados e desalojados já era prevista fruto da precaução e da eficiência dos prefeitos que conseguiram retirar as famílias das áreas de risco evitando que o número de mortes fosse maior que o registrado .

2- Em nenhum momento os recursos anunciados pelo Ministério da Integração foram utilizados e nem houve qualquer tipo de dano ao erário público.Pelo contrário. Sem nenhum holofote, o Comitê criado pelo governo estadual, a Defesa Civil, a AMA e os municípios já se preparavam para hipótese de comunicar ao Ministério da Integração que, emergencialmente, o dinheiro não seria mais necessário, devido ao levantamento preciso que estava sendo feito e a fiscalização das equipes da Defesa Civil .

3- Todos os cuidados foram e estão sendo tomados para que a população que precisa seja a única beneficiada. Em 90% dos casos, os prefeitos, com o apoio do governo, já resolveram todos os casos pontuais da fase crítica, garantindo alimentação,água potável, kits de higiene, colchões,limpeza,assistência médica e pagamento de aluguel social às famílias atingidas.

4- Desde o primeiro momento, os prefeitos e suas equipes  se mobilizaram e se doaram no apoio e assistência às milhares de famílias Foram os prefeitos que sairam dos gabinetes e passaram até 24 horas ininterruptas nas ruas no socorro as famílias sem medir esforços nessa assistência , empenhando recursos , além das possibilidades do município.

5- O trabalho não parou, muitas pessoas continuam precisando de assistência e é inaceitável que se utilizem as redes sociais para compartilhar informações ainda não oficiais e condenar generalizando todos os gestores. No geral os prefeitos agiram de boa fé. Se algum caso contrário for comprovado que seja feita a justiça com a devida punição

Hugo Wanderley

Presidente

07/06/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *