Alunos e funcionários protestam contra abandono na Uerj

Alunos e funcionários protestam contra abandono na Uerj

Alunos, professores e funcionáros da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) fazem um protesto, na manhã desta quarta-feira (7), para alertar a população sobre o descaso do governo com a instituição.

De acordo com o diretor do Centro Biomédico, Mário Carneiro, os funcionários não receberam até hoje os salários de abril, maio e o 13º. Segundo Mário, a universidade também não está recebendo recursos para a manutenção e, para ele, que trabalha há 32 anos na instituição, essa é a “pior fase”.

“A universidade não está recebendo recurso pra manutenção. As empresas terceirizadas estão trabalhando sem receber. O centro Biomédico está precarizado como todas as unidades, tudo está defasado. Só o Hospital Pedro Ernesto é que está recebendo com decisão de arresto judicial. É a pior fase que eu já vi”, explicou o diretor, segundo o G1.

O ato começou às 10h no campus principal da Universidade, que fica no Maracanã. Em seguida, os manifestantes caminharam pela Rua São Francisco Xavier, em direção à Rua 28 de Setembro, onde fica o Hospital Universitário Pedro Ernesto, o centro de enfermagem e Odontologia da UERJ. A manifestação foi pacífica durante todo o percurso, que terminou por volta das 12h na Praça Barão de Drumond.

A Uerj é uma das mais importantes universidades do país, com mais de 40 mil alunos de graduação e pós-graduação, grupos de pesquisa de alto nível científico e outras unidades, como o Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira (CAp-Uerj), o Hospital Universitário Pedro Ernesto e a Policlínica Piquet Carneiro.

“Você imagina os residentes sem bolsa salário de maio, abril, e sem 13º? Os meninos vem de longe pra estudar e acabam tendo dificuldade de se manter no estado porque ema vêm de fora. Apesar de tudo, a gente tem conseguido resistir a esse caos. É acreditar naquilo que a gente faz é amar aquilo que a gente faz”, afirmou a chefe do setor de fisioterapia do Hospital Pedro Ernesto, Vera Abelenda.

Na última segunda-feira (5) o RJTV exibiu o primeiro episódio de uma série de reportagens especiais para mostrar as dificuldades enfrentadas pela Uerj. Durante um mês, a maior universidade do estado foi frequentada pelas equipes de reportagem, que observaram os dramas vividos por alunos, funcionários e professores.

No segundo dia da série, a reportagem faz uma visita às salas de aula de medicina e aos laboratórios da universidade no campus da Tijuca, na Zona Norte do Rio.

07/06/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *